terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Quando!? Como!? Porque!?

Hello everyone,

No último domingo completei meu 5º mês em Dublin. As vezes dá impressão que passou rápida, as vezes parece que o relógio parou, acho que já comentei isso antes, mas de qualquer forma a impressão continua a mesma. E a saudade... bom essa não continua a mesma, porque está cada segundo maior.

Na ultima vez que passei aqui fiquei deixe disse que tentaria responder a pergunta que mais me fazem, mas acho que dificilmente conseguirei responder antes de terminar o curso. Mas tentarei partilhar as confusos do meu coração e os fatores que estão me ajudando a decidir.

- Conselhos, hoje li uma frase muito interessante: "Aceita o conselho dos outros, mas nunca desistas da tua própria opinião." (Shakespeare)
Algumas pessoas dizem que tenho que aproveitar a oportunidade que estou tendo, que não devo jogar fora a oportunidade, que é bom ficar, que se eu for estarei fazendo a escolha errada, que saudade dá pra aguentar, que se o visto é de um ano tenho tentar ficar, etc, etc, etc...
Sempre bom poder ouvir a opinião alheia, mas realmente não podemos deixar que os outros decidam nossa vida e ficarmos com medo das nossas escolhas porque se não der certo, essas pessoas serão pessoas serão as primeira a jogar isso na nossa cara.
Mas por outro lado, nada melhor do que ouvir as pessoas que nos conhecem, que conhecem nosso coração, sonhos, medos, inseguranças, vontades, limitações, etc.
E nesses dias em que estava pensando em que fazer, tive a oportunidade de conversar com pessoas que acrescentam demais em minha vida e isso aliviou os conflitos do coração.

- Saudade é o fator fundamental para eu voltar, pois sinto falta da minha família, dos meus amigos, da igreja, dos shows/eventos, sinto saudade da minha vida com as pessoas que amo e me fazem feliz. Engraçado porque talvez se eu tivesse no Brasil capaz de ficar esse tempo todo sem ver alguns amigos, mas estando aqui essa saudade é dobrada.

- Realização, um dos meus maiores sonhos era poder estudar fora. E graças a bondade de Deus hoje posso dizer que mais esse sonho foi realizado. Deus com sua imensa bondade, fez com que tudo acontecesse da melhor forma pra mim, com segurança...

- Experiência, a experiência vivida aqui foi única. Aprendi muito em todos os sentidos. Aprendi o valor da minha família, amigos, aprendi a enxergar o cuidado de Deus nas pequenas coisas, vi o quanto é difícil conviver com outras pessoas tão diferentes de você, mas enxergar as coisas boas dentro delas e muitas vezes escondida. Aprendi cozinhar, aprendi andar na cidade inteira, aprendi a me virar, aprendi a bater de porta-em-porta procurando emprego (risos). Coisas grandes ou pequenas, mas todas com o seu valor que acrescentaram em minha vida, que me ensinaram (me ensinam). Coisas que foram (e estão sendo) lição para a vida inteira.

- Medos, claro que o novo sempre assusta. Tenho medo de decidir voltar e me arrepender, medo de optar a voltar antes do tempo. Medo de ficar mais tempo, mas não ficar feliz. Medo de cair na rotina, medo de ter que voltar a procurar emprego, de aprender tudo novamente. Medo dos “não” dos “sim” , medo dos reencontros e desencontros, medo dos que vão e vem. Medos, medos, medos... mas apesar de tantos medos, a maior certeza “Deus está comigo o tempo inteiro, e Ele guia minha vida.”

- Inglês, sei que meu inglês está longe de ser bom. Mas hoje sei mais da língua em 5 meses do que eu pude aprender no Brasil a vida inteira (nada, cheguei se saber nada e sem entender nada), agora pelo menos posso ler melhor, posso entender melhor, e até consigo pedir água ou um lanche no MC Donald’s (risos). Recebi “o choque da língua” o que faltava para o ponto de partida, agora tenho a plena consciência que preciso continuar estudando no Brasil e quem sabe daqui um ano ou dois, fazer um curso de aperfeiçoamento fora do Brasil novamente (mas não mais que 30 dias... rs...)

- Princípios, um dos principais fatores que me faz pensar na hora de voltar ou não. Tudo que citei anteriormente entra aqui em princípios, por isso não irei repeti-los. E algo que fica no ar, até mesmo para eu me decidir é a questão do inglês, porque? Porque se eu vim com intenção de falar inglês e ainda não tenho o inglês ideal porque não continuar e tentar mais? Resposta simples porque aqui entra o todos os princípios junto e não só um. Que por sinal esse apenas um, tem resposta também, depois de um monte de perguntas. Se eu ficar em que meu inglês irá acrescentar se meu curso já terá acabado e eu não poderei pagar mais outros meses? Em nada. Porque talvez poderia trabalhar e assim pagar mais meses de curso, mas os trabalhos aqui não acrescenta em nada no inglês, não sai do “thanks” ou “It`s 2 euro”ou apenas o trabalho mudo mesmo. Então, pensei: esse fator “inglês” posso continuar buscando no Brasil “tendo minha vida de volta.” Quando digo minha vida de volta, não é que não a tenho aqui, mas aqui tenho minha vida só pra mim e não compartilhada com as pessoas que fazem dela.
Essa parte compliquei um pouquinho para escrever, mas na verdade se eu não complicar perde a graça (para mim mesmo).

- Mais sonhos, claro que muitas vezes dá vontade de ficar e viajar a Europa toda, conhecer os lugares, mas se eu realizar todos os sonhos agora depois nem vai ter graça, né!? (risos)
Então... é mais ou menos isso...A decisão do momento é que vim de abril, se Deus quiser estarei indo para casa. Mas sem deixar de levar em consideração a frase de um grande filósofo, Sócrates: “Só sei que nada sei.”

Deixo minha vida para ser moldada, desenhada, escrita por Aquele que me deu a vida e que conduz meus passos. Meu Deus, “Minha vida é toda tua, os meus planos, os meus sonhos. De nada vale o existir, se não for pra te ofertar.”

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Apenas um oi...

Olá, povos...

Faz um bom tempo que não atualizo o blog, né!? Não tenho encontrado as palavras... mas não mudou muita coisa... a luta pelo aprendizado ainda prevalece. “Vamo que vamo!”

Estou a caminho de completar meu 5º mês aqui. Olhando os números parece que voa mesmo, sentindo parece que o relógio está lento. Mas tirando a ansiedade e a saudade, os dias passam bem rápidos aqui.

Parei de escrever quando ainda está para completar meu 3º mês aqui, o que aconteceu nesse tempo... acho que não lembro muito, ou no momento estou com “sono para pensar” rs... Irei contar bem por cima e rapidinho até chegar na data atual, para eu tentar escrever o texto que elaborei hoje em pensamento (porque quando tento escrever as palavras me deixam...)

Poucos dias depois deu completar meus segundo mês em Dublin, uma amiga minha do Brasil veio estudar aqui também, mudei de casa, agora estou morando mais perto da escola, tenho trabalhado algumas vezes em um qiosque de doces no shopping, trabalhei no Metro, trabalhai 1 vez em um restaurante Indiano e 1 vez em outro restaurante da cidade.

Acho que é isso...

A cada dia a experiência continua sendo desafiadora e de grande crescimento.

Ultimamente a pergunta que mais ouço e leio é: “Quando você volta para o Brasil?” Então , na próxima postagem tentarei responder essa pergunta, ou melhor tentarei expressar minhas idéias, porém as quais estão sendo moldadas dia a dia...

(Obs. Desculpa escrever e nem reler para corrigir, mas essa semana tentarei postar algo mais elaborado e com calma.)

Abençoada noite!!!